Demian Maia e o domínio das costas

Share it

Em outubro de 2016, Demian Maia foi capa da revista GRACIEMAG #236, cuja manchete apresentava o lutador da seguinte forma: “Arte da eficiência – Com técnica elegante e postura de campeão, Demian Maia se firma como o maior finalizador de sua geração no MMA”. Neste vídeo, produzido com exclusividade pela equipe da GALLERR, você vai ter acesso justamente a essas virtudes do renomado faixa-preta: eficiência, elegância técnica e faro finalizador.

Demian ensina as minúcias de sua grande especialidade: o domínio das costas dos oponentes. Quando chega a essa posição, o aluno de Fabio Gurgel dificilmente perde o controle sobre o adversário. Mesmo quando ele (o adversário) consegue se livrar de um dos ganchos, Demian encontra espaço para se movimentar sem gastar energia, refazer alguns ajustes, e, com impressionante tranquilidade, retomar o domínio da retaguarda do adversário.

Repare, os ensinamentos de Demian neste vídeo são extremamente simples e sem firulas. Não dependem sequer de pegadas no pano. Você é capaz de aplicá-los tanto no Jiu-Jitsu esportivo com kimono, como também nas lutas sem kimono, no MMA e em situações de defesa pessoal.

“O domínio das costas se baseia num conceito essencial”, explica Demian. “O lutador que ataca precisa manter um alinhamento entre os próprios quadris e os quadris do oponente. Caso esse alinhamento seja desfeito e o adversário consiga escorregar as costas e encostá-las no chão, fica muito mais difícil de haver controle. É nessa hora que o lutador atacante deve se movimentar como demonstro no vídeo e refazer o domínio.”

 

Foi a partir dessa lógica que Demian se manteve atado às costas de lutadores duríssimos como Carlos Condit, Matt Brown e Neil Magny, chegando a finalizações espetaculares via mata-leão, no UFC.

Vale a pena você praticar inúmeras vezes os ensinamentos deste vídeo, afiando a dinâmica de controle das costas. Em seguida, arrisque nos treinos e depois nos campeonatos. Mesmo que nas primeiras tentativas você perca a posição e não chegue à tão desejada finalização, persista. Continue tentando. De acordo com Maia, esse é um dos grandes macetes para a evolução no Jiu-Jitsu. “Gosto de usar como exemplo o basquete”, diz o ídolo do UFC. “Mesmo na NBA, com o mais alto nível, todo dia os jogadores treinam bandeja, certo? No Jiu-Jitsu tem que ser assim. A repetição constante das técnicas, mesmo as técnicas simples e básicas, é fundamental para a formação e a manutenção dos grandes craques.”

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *