Jiu-Jitsu: o armlock de Mahamed Aly que deixou uma torcedora furiosa

Share it

Mahamed Aly e a história do armlock voador. Foto: IBJJF

Rolou no último final de semana o Washington D.C. Open, na capital dos EUA. Para comandar a ação entre os faixa-pretas, Mahamed Aly vibrou após conquistar ouro duplo na competição, com o titulo pesadíssimo e também no absoluto.

Mas o ponto alto da atuação foi na semifinal do aberto. Antes de chegar ao pódio e fechar com o companheiro de equipe Tim Spriggs, Mahamed encarou Gregory Walker na semifinal, e um lance curioso chamou a atenção do faixa-preta da Llyod Irvin.

Gregory, que havia batido DJ Jackson, também da equipe Lloyd Irvin, na final do peso médio, se jogou com tudo no absoluto. Contra Mahamed, o wrestler teve mais trabalho. Após receber duas quedas, acabou finalizado num armlock voador, e a história começa.

“Ele me derrubou duas vezes”, explicou Mahamed em papo com GRACIEMAG. “Mas não me manteve no solo para pontuar. Eu apliquei minhas duas quedas, com pontos, botei o joelho na barriga e consegui finalizar no armlock voador. Só que, ao pular, acabei batendo a coxa no nariz dele. O médico veio atender mas a esposa do cara veio correndo até o tatame.

“Ela tentou checar o marido mas foi interrompida pelo árbitro. Ela bradou que estava com ele e me encarou com fúria nos olhos. Eu me assustei e pensei: ‘Cara, o que eu faço agora? Corro? Dou um armlock voador nela também? Ajoelho e peço desculpas?’, eu não sabia.

“Depois ela estava lá fora e disse que não ia ficar assim. Estava meio alterada. Meu professor intercedeu e disse que eu não tinha antecedentes de machucar meus adversários de forma proposital, eles conversaram e os ânimos se acalmaram. Mas foi uma história boa para lembrar no futuro.”

Veja abaixo o vídeo com o lance e os detalhes do ocorrido no DC Open!

Ler matéria completa Read more
There are 5 comments for this article
  1. Fabio at 1:19 am

    Falou tudo.. não agradamos a todos e precisamos realmente desfocar daqueles comentários que podem acabar nos abalando. Boa. Sabe o que faz.. como faz e pelo que faz. Cada sacrifício cada escolha.. é difícil pra caramba, porém glorifica, nos alimenta e nos preenche. Tirando onda.

  2. Leandro at 7:19 pm

    Eu queria poder escolher não agradar ninguém também, mas eu sou vendedor kkkkkkkkkk, preciso ser simpático para viver hauhauhauahuha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *