GMI: Julio César explica sucesso da GFTeam no Brasileiro de Equipes de Jiu-Jitsu

Share it

Júlio Ce´sar ao lado do seu time campeão do master 1 faixa-preta, com Arthur Gogó, Rafael BBzão e Alberto Ramos. Foto: Flashsport

O Tijuca Tênis Clube, famoso palco do Jiu-Jitsu mundial, recebeu no último sábado, 9 de setembro, mais uma edição do acalorado Brasileiro de Equipes da CBJJ.

Times de todo o Brasil compareceram para o torneio em formato único, no qual as equipes se enfrentam em melhor de cinco lutas em cada divisão.

A equipe GFTeam, nossa GMI no Rio de Janeiro e em diversos estados, conquistou o primeiro lugar na disputa geral do campeonato, assim como o ouro em algumas das divisões mais importantes, como o marrom/preta adulto na divisão de leves e pesados, e no master 1 pesado, que contou com a presença dos GMIs Arthur Gogó, Alberto Ramos e Rafael Bebezão no mesmo time.

Para analisar a conquista, conversamos com mestre Júlio César Pereira, faixa-coral e fundador da equipe, e este revelou seu gosto e atenção redobrados para o evento da CBJJ:

“É o evento que eu mais gosto. Digo para os meninos que eles têm o ano todo para lutar para eles, e que esse é direcionado para lutar em nome da equipe”, explica Júlio César. “Ter nomes como o Jaime Canuto, Ricardo Evangelista, Denilson Pimenta e mais feras na disputa é sempre bom, pois motiva os alunos mais jovens, estimula a participação de outros grandes nomes a lutarem o campeonato e aumenta o nível das disputas.. A organização, tanto do evento quanto da parte dos nossos professores, foi nota dez.”

Outro detalhe ressaltado pelo mestre é a rivalidade do torneio. O ginásio por horas ficava tomado pelo grito das torcidas, incentivando suas equipes em duelos quentes. Dominantes no torneio, GFTeam e Nova União sempre brigam cabeça a cabeça pelas primeiras colocações, e mestre Júlio falou da importância de enfrentar grandes times e grandes lutadores.

“Essa rivalidade é muito saudável”, reconhece Júlio. “Fui visitar a GFTeam em Aracaju e encontrei o André Marola, coordenador da Nova União, e brinquei com ele, já que agora está 3 a 2 no placar para nós. Ele respondeu: ‘Tranquilo, ano que vem vou levar lutadores de mais de 50 equipes e empatar isso!'”.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *