Augusto Tanquinho e o Jiu-Jitsu de kimono como treino para o ADCC 2017 e UFC

Share it

Tanquinho pronto para voltar a lutar de kimono. Foto: Divulgação

Campeão mundial de Jiu-Jitsu e atleta peso-pena do UFC, Augusto “Tanquinho” Mendes não quis saber de pendurar o kimono para atender as necessidades sem pano de sua nova fase na carreira. Por mais que a fera esteja escalada para o GP até 65kg do Berkut, o ACBJJ, a fera, cria da Soul Fighters, contou que seu treinos com o paletó de algodão seguem para todas as batalhas que possa fazer, seja no UFC, no ADCC ou onde mais precisar atuar.

Em conversa com GRACIEMAG, Tanquinho ressaltou a importância dos treinos de Jiu-Jitsu tradicional na sua preparação. Para ele, as pegadas no pano e o maior leque de posições serve para agilizar o raciocínio e refinar o trabalho do corpo na hora da luta.

A fera terá, no próximo domingo, dia 16, o desafio de voltar a atuar em alto nível de kimono, no ACBJJ, contra nomes no calibre de Léo Vieira, Paulo Miyao, Kim Terra, Osvaldo Queixinho, Gabriel Marangoni e Nicholas Araújo. Tanquinho falou sobre a reta final de ajustes para voltar a lutar Jiu-Jitsu, a expectativa de participar mais uma vez do ADCC, na edição deste ano na Finlândia, e a muito mais. Confira abaixo!

GRACIEMAG.com: Como foi o convite para participar o GP do Berkut? Você já tinha planos de voltar a competir de kimono ou se inflamou após o chamado?
Augusto Tanquinho: O convite rolou quando eles decidiram fazer GPs em todos os pesos. Por eu já ter feito e vencido uma superluta lá em 2015 eles me convidaram e eu prontamente aceitei. Ver o Jiu-Jitsu se tornando mais profissional é muito legal e fico feliz de fazer parte desse novo projeto. Eu sempre quis voltar a lutar Jiu-Jitsu, tanto que tinha planos de lutar o Mundial da IBJJF deste ano, mas como lutei MMA em abril e não arrumei um patrocínio que fizesse valer a pena eu acabei não lutando. De um modo geral só esperava coincidir uma época boa com as minhas lutas de MMA e esse GP caiu bem.

Como fica a preparação para o torneio de kimono ao conciliar com os treinos sem pano para o MMA e eventualmente para o ADCC?
Eu continuo treinando de kimono todos os dias, inclusive ajudei na preparação de vários atletas da Soul Fighters para o Mundial, então não foi um problema. Amo treinar de kimono, mas sei da importância dos meus treinos sem kimono para o mma e estou conseguindo conciliar bem. Para o ADCC vou fazer o mesmo, já estou garantido até 66kg e em breve começo a minha preparação. Nunca deixei de lado os treinos de kimono, tanto que acredito que o meu nível não diminuiu. Continuo com um tempo bom e confio que posso vencer qualquer peso-pena. Talvez o meu ritmo de competição de kimono não seja o mesmo, mas vamos descobrir como vou responder lá em Moscou.

Existe, no seu ponto de vista, algum benefício em treinar de kimono para uma possível preparação de luta no MMA?
Existem vários benefícios. Com o kimono você refina a sua técnica e velocidade de raciocino e com isso o seu tempo de posições ficará melhor, sem falar na habilidade que você adquire de controlar a luta usando mais a técnica do que a força e explosão, facilidade que o sem kimono traz. Enfim, sou super a favor de treinar de kimono para uma luta de MMA.

Como você analisa o GP do Berkut no geral, com adversários duros já escalados, como Léo Vieira e Paulo Miyao?
Será um excelente teste, nunca lutei contra eles e contra os outros que estão no GP, será um prazer lutar contra esses adversários duríssimos e ajudar a fazer um grande show em Moscou.

Para entrar no ritmo da sua volta, qual foi a sua luta mais marcante de kimono?
Uma que me marcou muito foi a final do World Pro em 2011, no qual tive excelente campanha até chegar na final para enfrentar o Rafael Mendes. Ele já dominava a categoria, mas eu venci a disputa. O que me marcou dessa luta, contudo, foi o disse me disse que aconteceu lá em Abu Dhabi antes da final. Garantimos a vaga na final numa quinta-feira e a luta foi só no sábado. Então esses dias até a luta foram bem tensos, com muita guerra pela internet dos fãs, ainda mais por eu ter eliminado três caras do time dele antes. Ver o apoio do ginásio inteiro para mim, além de muito apoio vindo de todas as partes do mundo, realmente foi muito marcante.

E qual sua expectativa para o retorno ao UFC? Já tem alguma conversa para voltar ou oponente que gostaria de enfrentar?
Queria fazer mais duas lutas este ano, mas não conseguimos nada para agora em agosto, então acredito que só irei fazer mais uma luta lá para o fim do ano, já que vou lutar o ADCC em setembro. Estamos tentando entrar em algum show de outubro ou novembro. Eu não escolho adversário, então quem eles mandarem irei lá e vou fazer meu papel de vencer a luta.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *