BJJ

13 dicas para desenvolver sua maturidade como lutador de Jiu-Jitsu

Share it
Cleiber Maia dá conselhos a um jovem lutador. Foto: Divulgação

Cleiber Maia dá conselhos a um jovem lutador. Foto: Divulgação

Professor de Jiu-Jitsu e nosso GMI, Cleiber Maia gosta de comparar as habilidades nos tatames com a música.

“Lutar Jiu-Jitsu é como afinar a corda de um violão. O ajuste da tensão te coloca no tom da música”, explica o professor Cleiber.

Segundo o faixa-preta, o grande mérito de treinar Jiu-Jitsu é aprender a tomar decisões acertadas sob pressão – algo a que a vida nos obriga a fazer o tempo todo.

“O poder de tomada de decisão está diretamente ligado à nossa capacidade de lidar com a pressão”, diz Cleiber. “Na vida, temos a opção de nos preparar responsavelmente para lidar com o mundo ou ficar à mercê das circunstâncias. A segunda alternativa normalmente gera um nível de estresse altíssimo e expressa a imaturidade de uma pessoa. Imaturidade é isto: não estar apto a tomar decisões correntes sob pressão”, resume o presidente da SJJSAF.

No artigo a seguir, o professor distribui um leque de ensinamentos para você se tornar um praticante de Jiu-Jitsu mais maduro. Busque a sabedoria!

*******

Jiu-Jitsu e maturidade

“No Jiu-Jitsu, culturalmente, a graduação ou cor da faixa reflete a maturidade de um lutador, ou seja, a capacidade de assumir responsabilidades, uma qualidade adquirida mediante os anos de preparação para lidar com as tensões do dia a dia.

“Ter a capacidade de reagir com charme e espontaneidade em momentos de tensão é característico do artista marcial. Como eu sempre digo: ‘Lutar Jiu-Jitsu é como afinar a corda de um violão. O ajuste da tensão te coloca no tom da música.’

“Abaixo relaciono 13 fatores que ajudam a administrar o nível de tensão do dia a dia e vão contribuir para você adquirir maturidade no tatame e na vida.

1. Cuide da sua saúde

Um dos maiores legados de grande mestre Carlos Gracie foi a associação do Jiu-Jitsu a um estilo de vida saudável. O corpo doente é um corpo tenso e o cuidado com a saúde será fundamental para lidar com as inevitáveis contusões que a vida nos reserva.

2. Dedique-se ao treinamento técnico

Somente a técnica nos prepara para desafios duradouros, pois vai poupar nossa energia para que seja utilizada em momentos críticos. No entanto, toda técnica deve ser treinada de forma estratégica e o movimento deve ser vivenciado intensamente. Lembre-se: educação não tem sentido se ficar apenas no campo teórico das ideias.

3. Lute pelos seus direitos

Saber se defender, dentro da lei, para não perder a razão é fundamental para quem um dia quer ser chamado de mestre. Ninguém merece viver como um delinquente fugitivo, ao mesmo tempo em que nenhum sistema de defesa pessoal aborda tão bem o direito à legítima defesa como o Jiu Jitsu. Saiba agir com sabedoria.

4. Preze o cavalheirismo e a diplomacia

O cavalheiro tem o poder de resolver conflitos de forma diplomática sem ter de ostentar sua força ou entrar em disputas desnecessárias.

5. Esteja preparado fisicamente

É impossível dissociar o corpo físico da emoção psicológica. Suas iniciativas estarão diretamente ligadas à percepção de que o movimento é viável. O próprio entendimento na luta depende da ação corporal, e o seu preparo físico vai ajudar nesse sentido.

6. Valorize o esforço

A partir do momento que entendemos que o mérito está no esforço, perde-se o sentido do medo da derrota ou do fracasso.

7. Enfrente os problemas

Essa vivência rotineira nos mostra que as vitórias e derrotas sempre acontecem no momento certo. O importante é nunca virar de costas para um problema, pois ele nos perseguirá eternamente.

8. Tenha fé

É impossível estar 100% preparado ou ter controle absoluto sobre todas as variáveis de um problema. Sem dúvida a fé, na sua capacidade de impactar o universo de forma criativa e inusitada, é fundamental para aliviar seu estresse em momentos críticos.

9. Tenha espírito de equipe

Quando existe um comprometimento mútuo com a evolução do grupo sabemos que ninguém precisa puxar o tapete de ninguém. Promova a fraternidade, a igualdade e a liberdade para conviver harmoniosamente e de forma comunitária.

10. Tenha disciplina

A conduta disciplinada mantém a força do propósito e nos faz realizar com mais segurança e resiliência as tarefas mais árduas.

11. Preze a paixão, mas seja virtuoso

A paixão nos dá forças além da nossa capacidade física e traz sentido às nossas vidas. No entanto, assim como ela pode nos levar a fazer coisas maravilhosas, pode nos levar por caminhos não tão virtuosos e vícios. A paixão nos move, mas a virtude é que deve nos nortear.

12. Tenha equilíbrio

A busca constante  pelo equilíbrio do corpo durante o processo de estabilização do movimento, nos treinos diários, reflete inconscientemente de forma positiva no controle emocional do praticante de Jiu-Jitsu.

13. Base = integridade

A base é tudo que nos dá suporte. E não me refiro somente à base durante a prática esportiva. Jiu-Jitsu, para mim, é sinônimo de vida. Nesse sentido, base também é família, amigos, trabalho e a pessoa amada. Quando uma dessas partes não está bem, nos sentimos desestabilizados. A atenção de forma equilibrada a todas essas questões da nossa vida chama-se integridade.”

Para saber mais e ler artigos como estes mensalmente, assine GRACIEMAG, aqui.

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *