Irmãos Miyao: após dormirem na academia, o sucesso

Share it

No Mundial 2011

Qual é o tamanho do sacrifício que você está disposto a fazer para ter sucesso na vida?

Uma visita à academia Cícero Costha, no bairro do Ipiranga, zona sul de São Paulo, trouxe à tona um grande exemplo de até onde pode ir a força de vontade.

Numa tarde fria de fim de inverno, após o tradicional treino do meio-dia, dois jovens de 20 anos tiram um sono depois do almoço enquanto esperam a próxima sessão, dali a algumas horas.

Até ai, nada de especial, já que é comum que atletas usem as academias como extensões de suas casas.

Esse, porém, não é o caso. Os dois jovens paranaenses de traços orientais se chamam João Ricardo e Paulo Henrique Miyao, gêmeos, nascidos em 11 de maio de 1991, e estão a mais de 400km de casa.

É João que começa a contar a história da dupla: “Começamos a treinar em Andirá, nossa cidade, com o professor Adriano Carvalho, da Norte Sul Jiu-Jitsu. Há mais ou menos um ano, viemos para São Paulo porque os treinos na nossa cidade natal já não atendiam as nossas necessidades de evolução. Lá não havia muitas pessoas que levavam o Jiu-Jitsu a sério”.

Academia e casa

Desde que chegaram, dormem no tatame e vivem dentro da academia. E não são os únicos. Cícero Costha mantém o projeto social Lutando pelo Bem, em que acolhe jovens carentes e os direciona na vida através da arte suave.

Paulo luta em Abu Dhabi

João e Paulo, porém, vivem na academia mais por opção do que por necessidade: “O professor Cícero tinha até arrumado uma casa para nós morarmos, mas não quisemos. Aqui é como uma família, onde cada um ajuda o outro. E também não nos atrasamos para os treinos”.

São três sessões diárias, somadas a mais duas idas semanais à academia para malhar. Tal rotina impediu que os dois irmãos terminassem o curso de educação física na faculdade.

Tamanha dedicação já está dando resultados, como as medalhas em competições importantes mostram.

Em 2011, João foi campeão pan-americano peso pluma faixa-azul. Dois meses depois fecharam o peso pluma da faixa-roxa no Mundial, sendo que já tinham fechado a mesma categoria no Brasileiro.

Fora isso, brilharam no World Pro Cup, em Abu Dhabi, com João sendo vice na azul e Paulo campeão na roxa.

Com a faixa-preta já surgindo no horizonte (claro que antes ainda tem um bom caminho na marrom), os irmãos já fazem planos: “Nosso sonho principal é sermos campeões mundiais na faixa-preta”.

Mesmo com tanto a conquistar pessoalmente, eles não esquecem quem os ajuda hoje: “Queremos ver o projeto do professor Cícero crescer cada vez mais”.

Para terminar, quando respondem sobre os exemplos que seguem na arte suave, os dois não hesitam em apontar outra dupla que abalou as estruturas do Jiu-Jitsu nos últimos anos: “Nós nos espelhamos principalmente no Rafael e Guilherme Mendes. Gostamos muito de ver a luta deles. Outro exemplo é o Bruno Frazzato, além dos nossos companheiros de treino que nos ajudam a evoluir a cada dia. Amigos como o  Leandro Lo, Thiago Barros, o próprio professor Cicero Costha e muitos outros”.

Assista a um vídeo com os irmãos na TV Brasil.

Ler matéria completa Read more
There are 30 comments for this article
  1. Renan Nascimento at 10:42 pm

    Esses muleques são sinistros,ja os vi lutando aq no parana…

    E digo uma coisa podem escrever:O rafael mendes q desbancou o cobrinha,e no futuro esses dois vão desbancar os mendes,vai ser uma guerra de dupla dos irmãos…Os dois vão tirar a coroa dos mendes no futuro…Podem acreditar!!!!!!!

  2. Natalia Ramos at 12:04 am

    Muito legal ver a ascensão do esporte, mas tem um equivoco nessa matéria… em Abu Dhabi, quanto na seletiva do Rio de janeiro o Campeão foi o Atleta Márcio André da Equipe Nova União na faixa azul.
    Gostaria que isso fosse revisto.

  3. JORGE RENER at 1:49 am

    Fala Jony e Paulo , vcs merecem eu vejo, treino e aprendo com voces pura dedicação e força de vontade meu voces merecem tudo que conquistaram e merecem mto mais Oss

  4. Rs at 2:46 am

    Parabéns Pessoal…muito legal… parabéns Cição pela batalha pra manter a mulekada que precisa no caminho certo…e parabéns aos irmãos pela dedicação!!PSLPB forjando campeões!!!osss

  5. Brsilva at 6:22 am

    Logo logo eles vao vazar para qq outra equipe que lhes oferecer um hamburger e uma coca-cola!!! Assim como abandonaram a equipe do mestre Barbosa cuspindo no prato que comeram, logo mais vao vazar da excelente equipe do professor Cicero, e por ai vai!!! Que sao talentosos e com um futuro brilhante, ninguem duvida! Torco para que o tempo e a arrte marcial molde o carater deles e lhes ensinem a ter gratidao, e que eu morda minha lingua…

    • Mau Cristo at 2:52 pm

      cala boca n fala bosta vc n sabe de nada do que aconteceu no barbosa eles sairam pq tiveram motivo e não pq o cicero ofereceu alguma coisa pra eles antes de ficar falando besteira procura saber das coisas ze ruela

    • Diogo Domingues at 3:06 pm

      Há horas em que é melhor rever seus conceitos, como dito na matéria, na cidade não há tantas pessoas que levam o jiu-jitsu a sério, a mudança deles de equipe foi por buscar a evoluçao não porque “cuspiram no prato que comeram” como destacado!!

    • Julius0477 at 11:11 am

      Não sei Exatamente os motivos pelo os quais eles sairam da Barbosa Jiu-Jitsu, mas com certeza não foram os melhores.
      Mestre Barbosa, da mesma que o Mestre Cicero, abrigou e nunca deixou lhes faltar NADA.
      Evolução?! Conhecendo o Mestre Barbosa e seus discipulos é sábido que, pelos menos em SP, a Barbosa Jiu-Jitsu é Referencia.
      Cuspiram no Prato?! Depende da visão de cada um, creio que exista sim um Motivo plausivél, mas não cabe a nós julga-los.
      Mas não me venha com essa conversinha Fiada de que Procuravam Evolução.

  6. Luis Gustavo at 8:34 pm

    Monstrinhos sinistros estes dois ! Eles possuem um jogo interessante , não tem como piscar em uma luta deles, já são ídolos.

    Quanto ao fato de dizerem que eles cuspiram no prato que comeram, não posso dizer nada. Não digo nada não somente por não saber realmente o que aconteceu, mas, por esta decisão (trocar de bandeira/equipe) caber apenas aos dois e a mais ninguém.

    Parabéns aos moleques pelo trabalho, quem dera eu tivesse a mesma dedicação, força de vontade, talento e oportunidade pra treinar o tanto quanto eles treinam.

    abraços

  7. Cinthia Mizobe at 5:33 pm

    Parabéns João e Paulo (meus filhos, meus irmãos de alma e coração), só nós sabemos o quanto vocês batalham dia a dia, que Deus continue sempre iluminando vocês!!! Estão de parabéns……
    Ossss

  8. Rafael_dia_dora at 6:31 pm

    muito legal mais mesmo na verdade
    Eles começaram treinando judo com mais ou menos15,16 anos eles treinavam comigo eu tinha 13 no momento eu vi todo o esforço que eles faziam para treinar
    uma vez o irmão joão teve que ir para o hospital por só estva comendo frutas
    treinavam muito duro quando um tava na musculação eu treinava com o outro
    admiro muito o trabalho deles

  9. Diogovbarboza82 at 2:23 pm

    Treino JJ desde o meus 15 anos… dava gosto ir aos campeonatos e ver clássicos desde a segunda luta até a final. Dizem que o JJ evoluiu e com essa evolução veio a preparação física, suplementação (que até existia, mas de forma menos intensa), jogos de equipe, atletas com força descomunal…a técnica se reduziu e por vezes foi vencida pela força bruta! Raras vezes aparecem um Celsinho, os Mendes… Testemunhei alguns combates desses Miyao Brothers e fiquei emocionado! Os moleques são fora de série! Além de um JJ refinado p/ um faixa roxa, disposição, amor ao trabalho, tesão na luta, espírito de competição, são sintomas da formação dos futuros donos do peso pena e pluma na faixa preta! A maior lição é vê-los unidos como família dentro e fora dos ringues. Irmão de sangue, da vida e do sonho! Que algum ampresário veja esses moleques e dê uma moral. Tiro o chapéu!

  10. Egnaldo Cardoso at 6:01 pm

    Muito bem parabens pela historia meu filho é seu fan tenho fé em Deus que um dia poderei levar ele nesta academia é o sonho dele conhecer esta academia e vcs Joao e Paulo o jogo dele e identico o de vcs .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *